31 outubro 2008

Luzes apagadas

Estou fugindo de uma coisa que não sei bem o quê é, e mais por desespero do que vontade acabei achando esse cantinho abandonado, sem muito conforto, sem muito barulho, um lugar todo novo, livre daquela criatura horrível chamada passado que dizemos estar domada, quando muitas vezes - e talvez na maioria delas - é quem tem o chicote nas mãos.

Venho de uma mansão, mal acostumado com os trejeitos de nobreza com os quais muitas vezes me cerquei, é por isso que ainda estou desconfiado por aqui, com essa nova vizinhança, os estranhos deveras estranhos; mas não venho com humildade, pois isso é uma coisa que, pelo menos deste lado do mundo, nunca aprendi a oferecer, no entanto, estou de braços abertos, embora de luzes apagadas.

2 comentários:

de bObA disse...

tinha feito um comentário enorme aqui, que raiva que saiu...era ligado a uma de minas postagens..grrr >.<

"dizemos estar domada, quando muitas vezes é quem tem o chicote nas mãos."

sempre existirá uma linha...podemos ir pra longe..mas ela sempre irá existir...


Era algo assim, mas tinha sido bem mais profundo...bom de qualquer jeito...é incrível, você realmente capta a essência humana quando escreve, isso é lindo, esse texto é lindo..acho que o preferido que li até hoje!

=*

de bObA disse...

também avia dito "quando será que as luzes se acenderão?"

_ _'

=*